domingo, 5 de maio de 2013

Em tons de azul



O meu olhar azul como o céu
É calmo como a água ao sol.
É assim, azul e calmo,
[...]
E eu aceito, e nem agradeço,
Para não parecer que penso nisso...

Alberto Caeiro, O Guardador de Rebanhos



fotografia de eurico portugal


Hoje acordei azul. Que estranho, já fui branco, tantas vezes cinza e fumo de cigarro a cortejar sombras, se não mesmo automóvel negro a abrir vertigem na autoestrada. Hoje, porém, sou azul, no ventre vazio das outras cores que se fizeram improváveis como reticências. Azul.
Em meu redor, nenhuma palavra, nenhum silêncio, como se o rosto e a nuca fossem a projeção de uma mesma luz; nenhum dístico, insígnia ou nome, até a inspiração cresce estranha como versos sem rima ou poemas ao acaso, pintados de todas as cores que me não servem, hoje. Azul, como quem te sabe e lê, porque ninguém leu para além de ti. Azul, sem tempo nem mortes a mascarar dissonâncias.
Hoje acordei azul. Estendo os dedos para a chávena de café, levo-a à boca e queimo a garganta. E, no sibilar da voz, pressinto os lábios que nunca arrefecem na porcelana do teu olhar.


fotografia de eurico portugal

18 comentários:

  1. Que importa a cor?
    Acordaste...

    A tua fotografia tem evoluido bastante nao te esquecas do it with the heart

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. há dias assim, laura, em que a cor nos percorre subjugando a mão e o canto, sendo simultaneamente boca, fome e fruto.

      nosso abraço!

      Eliminar
  2. leve e doce este azul como asas que pousam suaves sobre o respirar...

    adorei, querido amigo!
    as fotos pura vertigem :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o frágil eclipse dos tons, quando murmuramos o mar e a falésia em respiração átona - assim, levemente, sem que demos por isso.

      beijinho, querida andy! as fotos: uma imitação singela da verdadeira vertigem - o magnífico lugar onde as captei.

      Eliminar
  3. Ainda que a camisa do glorioso benfica seja vermelha, o Azul é a cor mais Azul que existe.

    fotaça, euriquíssimo.


    abraçílimo do

    r.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pois, robertílimo, este é mesmo o azul à benfica, cor do equipamento alternativo de há uns 10 anos :); como é que pode?

      as fotos: GNRation (escrito assim mesmo), o antigo edifício da guarda nacional republicana, cá em braga, entretanto convertido em espécie de centro cultural da cidade. acabadinho de inaugurar - até cheira a novo-velho. imperdível! só lamento não ter tido tempo, ainda, para uma visita a sério.

      abraço!

      p.s. constou-me que tens andado em viagem. para quando uma paragem no apeadeiro desta minha/nossa terra?

      Eliminar
    2. estive viajando por aqui mesmo, jorgíssimo...
      flórida: pra ser mais exatao, fort Lauderdale e Miami (a cidade mais pilantra do planeta, depois de las vegas... até as palmeiras de Miami são cafajestes)...fui a trabalho.

      preciso organizar minha vida para marcar braga e arredores (que tal dar um pulo de uma manhã em terras de espanha???).

      viva o benfica, campeão português (aposto todas as minhas berlindes na águia)!
      enquanto isto, em belo horizonte, as finais do mineiro começam domingo próximo.
      nosso cruzeiro está com um time muito forte (o melhor em dez anos) e jogará contra o arqui-rival Atlético-MG, que está jogando o melhor futebol do Brasil este ano e ressuscitou Ronaldinho gaucho (que está jogando como nos tempos de Barcelona).

      vai ser briga de cachorro grande.

      abração,

      r.

      Eliminar
    3. miami, cidade pilantra: conheço vários adjetivos que podem ser alfinetados na camisa de cada cidade, mas pilantra nunca tinha ouvido :)
      pois, que braga se faça roteiro breve nas tuas viagens, meu querido amigo.
      quanto ao benfica... não sei se por ter escrito, no domingo, em tons de azul, foi baquear logo no dia seguinte diante do estoril, aguardando-se já para amanhã aquela que deverá ser a decisão; e logo no dragão!? semana difícil, a minha, robertílimo, por entre trabalho de 8h a 20h e este abismo de peito tão difícil de apaziguar... nem sei se quero ver o jogo amanhã...
      quanto ao nosso cruzeiro - este sim, true blue :) -, venham daí ronaldinhos, messis e neymares que tratamos-lhes da saúde.

      abracílimo deste terras do minho!

      Eliminar
  4. azul é uma cor de perdição, evoca céus, mares, transubstanciação


    abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. azul, tantos lugares em correspondência e esse corpo, bem ali, diante do olhar, moldando a sua figura!

      abração, assis!

      Eliminar
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar

  6. Ah, amanhecer em azul é prmossa de arco-íris, Que venham todas as outras cores.

    Beijos, poeta querido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. aos poucos, como nós, as cores anunciando-se em gemidos de revoada para não-se-sabe-onde.

      beijo, taninha!

      Eliminar
  7. Eurico,
    muito bela tua prosa poética!

    Faço silêncio, um silêncio em tons de azul...

    Beijos muitos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. em silêncio azul, o arco-íris se faz promessa gravada na pele, aninha!

      beijo meu!

      Eliminar
  8. depois do preto, que é a minha cor para todos os assuntos, o azul desperta-me para que o céu jamais fique esquecido quando há alguma avaria nas asas

    "Azul, como quem te sabe e lê, porque ninguém leu para além de ti".

    levo cada palavra para meu sono - 00:49
    bj imenso, meu poetíssimo amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. black is the colour, ira :)
      que as minhas palavras agitem insónias devolvendo o descanso ao corpo.

      beijinho!

      Eliminar